4 de jul de 2012 ÀS 15:47 | ATUALIZADO EM 4 de jul de 2012 ÀS 15:47

Maquiagem contra ataque homofóbico causa bafafá em festival de internet em São Paulo

DO EXTRA ONLINE

Rafucko e Julia Petit criaram maquiagem contra ataque homofóbico em festival de internet (Foto: Divulgação)Rafucko e Julia Petit criaram maquiagem contra ataque homofóbico em festival de internet (Foto: Divulgação)
Depois do polêmico tutorial de make que esconde marcas da violência contra mulheres, feito por uma blogueira americana, uma ação semelhante causou bafafá durante um festival de internet, em São Paulo. Em uma apresentação no evento YouPix, a apresentadora do GNT Julia Petit e o humorista Rafucko montaram, diante do público, uma maquiagem ‘para evitar ataque homofóbico’. O look criado ensina lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais a simularem hematomas de uma agressão.

"Assim, o homofóbico pensa que o cara já levou sua dose de porrada do dia", explicou Rafucko, conhecido na internet por seus vídeos com manifestações sociais recheadas de ironia.

Durante a apresentação, os participantes faziam brincadeiras ousadas sobre o assunto: “Os ataques a gays estão vindo com tudo nesta estação”, disse Julia Petit, que também é blogueira de moda e conhecida por seus tutoriais de maquiagem.

Na plateia, espectadores e fãs da apresentadora cochichavam espantados, até perceber que a performance se tratava de um protesto bem-humorado contra a homofobia. “Este é um problema de todos, assim como todo preconceito não é só problema de quem sofre”, lembraram.

O videomaker Rafucko também faz sucesso na internet com vídeos divertidos de ‘passo a passo’: ele ensina, por exemplo, a fazer maquiagens faciais ‘com cara de Facebook’ e com ‘cara de acidente na Dutra provocado por um animal na estrada’. Confira:

3 comentários:

Anônimo disse...

O que não pegou tão bem foi a declaração:"Assim, o homofóbico pensa que o cara já levou sua dose de porrada do dia". Acho que nenhum ser vivo merece uma dose alguma diária de porrada, sejam gays, crianças, mulheres, negros, evangélicos, as minorias. Refoçou a violência.

Anônimo disse...

Se você ler a frase sem a considerável dose de ironia que ela carrega, realmente ela pode parecer estranha e violenta.

Não acho que seja o caso, não é mesmo?

Os dois estavam claramente fazendo um comentário irônico e bem interessante sobre a violência contra a comunidade LGBT. Bem bacana a iniciativa!

Carol disse...

Eu acho MUITO complicado fazer piada com um assunto tão delicado. Não gostei da abordagem, não...